"Não basta ser pai, tem que participar!"

Esta é uma frase forte na publicidade que nos faz pensar primeiramente no que vem a significar “ser pai” e, por força da própria reflexão, no significante “participação paterna”. Ser pai constitui uma rede de considerações e responsabilidades próprias do homem que é chamado por Deus a constituir, no sacramento do encontro, uma família, perpetuação da humanidade. Pai é aquele que acima de tudo ama e por amar gera, cuida, zela, protege, orienta, preserva, cria e recria, tornando-se partícipe no ato criador de Deus que ama. Mas não basta gerar, ter filhos, casa, esposa, trabalho. É preciso ter tempo para a esposa, para os filhos, para a família. É necessário participar dos momentos significativos do lar, das esperanças, desafios, conquistas, fracassos, enfim, da história pessoa de cada membro da família que esbarra na história pessoal do próprio pai. O pai só pode considerar-se assim se realmente participa, marcando presença, do contrário, acaba “ficando pai” pelo resto da vida sem tocar na experiência bonita e fecunda de ver e fazer crescer a prole e a respectiva família. Ser pai é mirar-se no próprio Deus que é Pai, que está sempre presente na história de seus filhos, pois a paternidade supõe engajamento, compromisso, inserção. Deus é assim: Ele vem participar conosco, fazer história com a gente, encarnando-se entre e como nós. Deste modo, o participar paterno não é só um atributo, mas uma característica importante desta vocação.
Hoje é dia de lembrar dessa vocação bonita que enlaça o homem e a mulher numa convivência de amor mútuo, de encontro intimo, de aliança abençoada, de recíproca identificação em busca da felicidade humana. Sentir-se chamado a fazer aliança com alguém, comprometendo-se com sua história é abrir-se a dimensão do amor gratuito de Deus que ama seu povo e com Ele estabelece uma aliança. Comprometer-se com alguém dentro da disposição do amor é comprometer-se com sua realização pessoal, bem-querer o outro como parte de sua própria vida.
Que Deus possa abençoar todas as famílias, todos os casais, todos os namorados para que realizem experiências firmes e humanizantes de encontro amoroso, onde o companheiro, a companheira consigam ser amados, respeitados, valorizados como imagem e semelhança de Deus.
Aos pais nosso carinho e nossas 
orações pelo dia de hoje!