Artigos, Destaques › 30/11/2018

VOCAÇÃO: BUSCA PELA FELICIDADE EM DEUS

Antes de falarmos, a respeito do seguimento de Nosso Senhor Jesus Cristo, rezemos a oração do Santo de Assis diante do Crucifixo de São Damião: “Altíssimo, glorioso Deus, ilumina as trevas do meu coração: dá-me uma fé direita, uma esperança certa, uma caridade perfeita, senso e conhecimento, ó Senhor, para que eu faça o teu santo e veraz mandato. Amém.”

Esta bela oração de São Francisco de Assis expressa bem o desejo de seu coração que não pedi nada para si, mas sim aquilo que Deus é: amor, esperança, luz e caridade. No desejo de continuar como um filho de Deus encantado por seguir Jesus Cristo, em obediência, sem nada de próprio e em castidade.

Para São Francisco a sua maior alegria é o seguimento de Nosso Senhor Jesus Cristo de forma concreta em um imenso desejo de ser no cotidiano outro Cristo.

São Boaventura, discípulo de São Francisco de Assis, expressa muito bem o sentido que move uma alma a ir além de si mesmo: “A felicidade não é senão gozo do Sumo bem. O Sumo Bem está acima de nós. Ninguém, por conseguinte, pode ser feliz senão elevando-se acima de si mesmo, já não com o corpo, mas com o coração.” Todos nós queremos ser felizes. Porém, muitas vezes nos enganamos a respeito do que seja a verdadeira felicidade. E por isso, facilmente nos desviamos do caminho. E foi percebendo esta fragilidade da pessoa humana, que São Francisco pede com fé e devoção ao Senhor a sabedoria para ter um coração imenso, generoso, uma fé direita e uma caridade perfeita. Mas, tudo isto por que descobriu que a verdadeira felicidade está no seguimento de Nosso Senhor Jesus Cristo, do qual descobre quão imenso é o amor de Deus para com o homem e para com as criaturas. Amor gerador de vida e de fraternidade por meio do qual a pessoa humana sente-se impulsionada ao amor de si e do outro. Esta forma nobre de viver a vida, São Francisco só encontrou em Cristo Jesus que em nenhum momento hesitou em dar a vida por seus amigos.

Deste modo, a beleza do seguimento de Cristo se dá na adesão completa e inteira ao seu projeto de vida na realização da vontade do Pai, no qual é exigido do discípulo a renúncia de tudo que possui e principalmente, de si mesmo, para ter toda sua vida doada a Ele no seu seguimento. Jesus Cristo passa a ser o ponto de partida e de chegada de todo àquele que o deseja seguir num apaixonamento único onde o corpo e a alma clamam profundamente pela união entre criador e criatura numa mesma vontade. Pois, o discípulo é aquele que descobriu que “A felicidade não é senão gozo do Sumo bem. O Sumo Bem está acima de nós. Ninguém, por conseguinte, pode ser feliz senão elevando-se acima de si mesmo, já não com o corpo, mas com o coração.”

Por isso, para além da beleza do seguimento que nos faz mais humanos, o elevar-se a Deus com o coração indica que a pessoa humana não é somente corpo, mas também espírito. Isto nos mostra que a dimensão humana não se restringe aos desejos corporais.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.