Ordem dos Frades Menores Conventuais

Artigos, Destaques › 21/09/2019

SANTO ANTÔNIO: PREGADOR DO EVANGELHO

“A Palavra de Cristo habite copiosamente em vós, ensinai-vos e admoestai-vos uns aos outros com toda a sabedoria, cantando a Deus com todo o coração, e com gratidão, salmos, hinos e cânticos espirituais”. (Cl 3, 16)

A grande novidade que a Palavra de Deus nos trás é a comunicação que este Deus faz de si mesmo ao ser humano. Comunicação de vida, de verdade e de fé capazes de transformar o coração de seus ouvintes e convocá-los a serem transmissores e proclamadores da Palavra Divina.

  Santo Antônio, como grande pregador e dotado de profunda cultura teológica, transparece uma intimidade fecunda com a Sagrada Escritura. No qual, esta Palavra além de comunicar quem Deus é, mostra sua eficácia capaz de criar aquilo que diz e estimular seus ouvintes a uma mudança radical de vida.
Imbuído desta Palavra e da espiritualidade de São Francisco de Assis, Santo Antônio em suas pregações tem como tema três mistérios: o nascimento de Cristo, sua Paixão e Morte, e sua presença permanente na Sagrada Eucaristia. Três mistérios que para Santo Antônio denotam certamente a Revelação de um Deus que se enraíza na história do ser humano e lhe comunica a vida divina. Deus é a palavra que se fez carne e habitou no meio de nós. E nos convida a segui-lo mais de perto por meio de uma vida que anuncie com os lábios e com o testemunho Nosso Senhor Jesus Cristo, isto é, a Palavra de Deus que se manifesta em nossa história.
  Santo Antônio, tão inflamado do ardor e da novidade da presença de Deus na história, testemunha pelos ensinamentos o que aprendeu de São Francisco de Assis: “Anunciem aos fiéis os vícios e as virtudes com palavras simples e breves e tenham sempre em estima e acima de tudo o Espírito do Senhor e o seu Santo modo de operar; porque o Senhor usou de palavra breve sobre a Terra” (RB 9). Diante do grande amor de Deus pelo ser humano, não é mais possível silenciar e calar a Palavra que liberta e que cura. E tão grande é a beleza da Palavra de Deus que até as criaturas desejam ouvi-las com mais prontidão do que os homens. Um exemplo disso temos quando Santo Antônio vai pregar em Rímini e por causa da grande quantidade de hereges foi tratado com desprezo. E com isso, certo dia, inspirado pelo Senhor pregou aos peixes: “Peixes do mar e do rio, ouvi a Palavra do Senhor, pois que os infiéis hereges, com desprezo se recusaram a dar-lhes ouvido (…). Meus irmãos peixes, muito obrigados estais a agradecer por vosso modo de ser ao Criador, que para vossa habitação vos deu elemento tão notável, assim de tal maneira que tendes águas doces ou salgadas, como convém (…). Bendito seja Deus eterno, porque mais honram a Deus os peixes aquáticos do que os homens heréticos, e melhor O ouvem os irracionais do que os homens infiéis.” (Atos do Bem-aventurado Francisco e seus Companheiros 45)


  Deste modo, para o louvor e a glória de Nosso Senhor Jesus Cristo somos convocados a abrir-nos à Palavra de Deus e colocá-la em prática na medida em que, pelo testemunho de vida façamos ecoar e atualizar para os nossos dias a Palavra de Deus. Que não sejamos surdos ao clamor do Pai, do Filho e do Espírito Santo que não cessam de comunicar a vida Divina a todo ser humano por meio das coisas criadas. Reconhecer a voz de Deus é fazer a mesma experiência de Santo Antônio: “Vossa Palavra é uma lâmpada que ilumina meus passos, uma luz em meu caminho.” (Sl 118, 105)

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.